Como cortar custos e aumentar os lucros na pequena indústria?

Não é novidade que o Brasil está passando por um momento complicado na política e na economia. Dados do IBGE, divulgados recentemente, apontam que o país está passando pela maior recessão desde 1947, quando os critérios começaram a ser analisados.

O PIB (Produto Interno Bruto) teve queda de 3,6% e reflete a recessão apresentada por vários setores da economia, como o agropecuário, o industrial e o de serviços. Em tempos assim, não só as grandes organizações se preocupam com as consequências de perdas: a pequena indústria sofre ainda mais com a queda do consumo e da produção.

O micro e o pequeno empresário devem estar atentos a vários aspectos de seu negócio para conseguir superar a crise e aumentar o lucro.

Pensando nisso, separamos dicas de como aprimorar processos internos, em termos administrativos e de produção, para que a sua empresa tenha lucro. Quer saber mais? Não deixe de ler o artigo!

Os custos X o lucro

O mercado exige da pequena indústria produtos de qualidade com boas matérias-primas e, por outro lado, quer preços competitivos. A grande questão para a gestão dessas empresas é conseguir balancear o custo da produção e o lucro, acrescido do crescimento desejado.

Conhecer os custos e as finanças da indústria é essencial para a tomada de várias decisões, entre elas: ações para enfrentar a concorrência, mudanças administrativas, contratações e demissões, cortes ou investimentos. Os custos são correspondentes ao que é gasto na própria fabricação dos produtos e pode ser confundido com as despesas, que abrangem gastos com a administração da empresa e comercialização dos produtos.

Evite desperdícios

Os desperdícios podem ser ocultos ou visíveis. Geralmente, os visíveis são mensuráveis e perceptíveis, enquanto os ocultos são pequenos defeitos e problemas que também causam desperdício e influenciam no custo da produção.

Procedimentos desnecessários, falhas e pequenos defeitos em equipamentos, instruções pouco claras no manuseio dos equipamentos, falta de manutenção, por exemplo, impedem o bom funcionamento da cadeia produtiva, tendo como consequência gastos extras e contratempos que refletem no custo e distribuição do produto.

A superprodução, o estoque excessivo e a ociosidade (do maquinário ou de recursos humanos) demonstram que os processos estão desalinhados com a capacidade ou a necessidade da indústria e devem ser rapidamente otimizados para não causarem maiores problemas.

Para conseguir eliminar qualquer tipo de desperdício é preciso reconhecê-los e mensurar a perda e depois, avaliar quais são as possibilidades para que sejam evitados, seja ela buscar novos mercados para adquirir o produto, trocar o maquinário por equipamentos mais eficientes e eliminar processos excessivos, por exemplo.

Conheça o mercado

É importante conhecer não só a empresa, mas também, todo o contexto e mercado em que a empresa se encontra. Ter em mente quais são as potencialidades e falhas da empresa dentro do setor faz a diferença na hora de avaliar o que oferecer de diferencial e quais são a necessidades do público, além do diferencial dos seus concorrentes. Faça pesquisas e consulte o seu consumidor.

Reavalie processos

A metrologia é a ciência da medição e de suas aplicações e é utilizada para calibrar instrumentos de medição e processos industriais, por exemplo, e que garantem o padrão de qualidade do que é produzido. E é um dos processos que podem fazer a diferença no resultado final.

No segmento da Metrologia Industrial, o objetivo é garantir a excelência do produto final por meio do controle de processos e calibração de instrumentos como: análises microbiológicas, sistemas de tratamento de água de uso industrial, densímetros, controladores de pressão, manômetros, controladores de temperatura, calibração de balanças e medidores de vazão, entre muitos outros. Sendo muito importante para todos os ramos industriais.

Além de pensar na parte produtiva e industrial, os processos internos, como os de comercialização e de administração, devem ser avaliados com frequência para saber se estão alinhados a necessidade da empresa ou se estão sendo realizados com primazia. Para isso, é importante ter colaboradores alocados para fazer essa avaliação e, caso necessário, contratar consultores externos ou equipes de qualidade.  

Tenha metas

Outro segredos de empresas de sucesso, independente do tamanho, é ter metas e objetivos em curto, médio e longo prazo. O mais importante não é saber onde quer chegar, mas criar opções e desenvolver estratégias para alcançar o objetivo.

As metas são, também, maneiras de motivar a equipe em prol do coletivo e devem ser comunicadas de forma clara, fazendo com que todos se sintam pertencentes a empresa. O primeiro passo é traçar o objetivo, verificando se é realmente possível e coerente, depois é hora de estabelecer os responsáveis e os critérios para monitorar o desempenho e o andamento, além de um cronograma para o que foi proposto.

Saiba administrar

Um setor administrativo cauteloso e organizado também colabora com o corte de custos e maiores lucros. É preciso ter controle do fluxo de caixa, das receitas da indústria, das despesas, dos impostos e dos financiamentos e investimentos.

A parte tributária e financeira costuma gerar as maiores dúvidas. Por exemplo, o Simples Nacional, regime tributário que foi criado para descomplicar e reduzir a tributação sobre empresas, muitas vezes não é claro o suficiente e pode ser vantajoso em alguns casos, e em outros não.

Em suma, a guia Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) reúne tudo o que deve ser pago e esclarecido ao governo, incluindo impostos como COFINS, PIS, ICMS e IPI. É importante ficar atento porque cada um deles varia de acordo com o tipo de negócio e faturamento da indústria, incidindo ou não na compra de materiais e, em alguns casos, podendo ser recuperados.

A vantagem que o DAS oferece é menores alíquotas e facilidade do pagamento, para indústrias com faturamento inferior à R$ 3,6 milhões, mais interessantes ainda para empresas com margens de lucros médias ou altas, custos operacionais baixos, folha salarial médias ou altas e o consumidor final sendo o principal cliente.

Vale a pena procurar saber mais sobre cada regime para saber o que é o melhor para a sua empresa.

Procure mudar, inovar e investir

Apesar do cenário atual não favorecer gastos ou investimentos, são eles que podem fazer a diferença no alcance do seu produto. O mercado está cada vez mais competitivo e os compradores apostam em empresas que aliam a qualidade e a garantia do produto a produtos inovadores e diferentes.

O investimento na indústria é uma das ferramentas para aumentar a produtividade, que é um dos caminhos mais indicados para empreendimentos que querem ter mais lucro e superar tempos de crise, visto que outras alternativas, como aumentar o preço ou diminuir a produção, não costumam ter o resultado esperado.

Por fim, o mais importante é acompanhar de perto as necessidades e oportunidades do seu negócio, procurando novas estratégias e tecnologias para fazer sua pequena indústria crescer, gerar lucros e ter o melhor aproveitamento possível, sem aumentar os gastos.

E aí? Gostou das dicas? Que tal compartilhar este post nas suas redes sociais?




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *