Avanço tecnológico em motores elétricos e a economia de energia

Segundo o Ministério de Minas e Energia (MME), os motores são responsáveis pela maior parte do consumo de energia na indústria no Brasil. Esse setor consome 43,7% de toda a energia elétrica nacional, sendo 68% dessa energia consumidos pela força motriz e 30% por motores elétricos, especialmente em consequência da prática de recondicionamento, que diminui a eficiência energética dos motores.

No entanto, a redução do consumo de energia pode ser feita em muitos dos equipamentos industriais em operação, com possibilidade de diminuir esse consumo em até 60%. A modulação de velocidade em inversores de frequência, assim como a troca de motores elétricos antigos por novos de maior eficiência, são medidas de rápida implementação.

O avanço tecnológico é um dos principais fatores que têm levado à economia de energia de motores elétricos, com reflexo claro nas contas de luz de empresas e indústrias de pequeno e médio porte. Acompanhe o post e entenda mais!

Como são desenvolvidos motores elétricos mais econômicos

A possibilidade de diminuir o consumo de energia elétrica com motores mais novos suscita campanhas de trocas de equipamentos antigos por mais modernos. Em novembro de 2015, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) lançou o projeto “Incentivo à substituição de motores elétricos: promovendo a eficiência energética no segmento de força motriz”.

Já em Minas Gerais, a Companhia de Energia Elétrica de Minas Gerais (Cemig) desenvolveu o Projeto Cemig troca o seu motor, que ofereceu bônus de até 40% para microempreendedores e cooperativas rurais que tinham o interesse de reduzir as contas de energia e renovar o maquinário, além de descartarem corretamente os motores antigos.

A Weg, uma das maiores fabricantes de motores elétricos de todo mundo, por sua vez, conta com o “Plano de troca”, que incentiva a mudança de motores antigos por novos de maior eficiência.

Os motores mais novos, além de provocarem economia de energia elétrica, proporcionam mais produtividade às empresas, sejam elas de pequeno ou médio porte. Os equipamentos modernos têm maior presença de cobre, o que colabora para a diminuição de consumo energético. Além disso, a prática de recondicionamento torna os motores antigos menos eficientes. Estima-se que essa redução de eficiência seja de 5%.

Em equipamentos mais antigos, os desgastes mecânico e elétrico levam os motores à perda do fator de serviço, que nada mais é que a potência que o motor entrega. Usualmente, o fator de serviço de um motor novo é 25% maior do que o antigo.

Assim como a perda de eficiência, a manutenção de motores elétricos com muito tempo de uso pode levar a riscos, tais como: risco de explosão e incêndio, risco de curto-circuito elétrico, risco de contato e maior custo a longo prazo.

Por que motores novos são mais econômicos?

A maior presença de cobre nos motores novos é um dos principais fatores para a diminuição do consumo de energia. Com maior condutividade elétrica, os equipamentos de alto rendimento reduzem as perdas de energia. Eles ainda têm a vantagem de possuírem maior vida útil em comparação a motores convencionais.

Além de avaliar o preço, a compra de um motor elétrico deve considerar a vida útil desse equipamento. Desembolsar um valor um pouco maior por uma máquina pode refletir em maior vida útil e menor consumo energético, o que compensará o dinheiro investido inicialmente.

Estima-se que o motor elétrico alcance alto nível de desempenho por cerca de 5 anos. Após esse período, as funções e condições podem ficar comprometidas. Já os rolamentos possuem uma vida útil de 20.000 horas, estimada pelos fabricantes. As relubrificações podem ser feitas seguindo os procedimentos indicados na placa de identificação e no manual de instalação e manutenção do motor. Posteriormente, os rolamentos devem ser substituídos.

Para quem busca alternativas com bom custo-benefício, os motores da linha WEG W22 são ótimas opções em fator de serviço apurado, alto nível de rendimento — especificado pela norma ABNT NBR 17094 —, atendem à Portaria Interministerial nº 553 da Lei de Eficiência Energética 10295/01 e possuem perdas menores que os demais motores disponíveis no mercado — entre 10 e 40%.

Fatores que ajudam na economia de energia de motores elétricos

Como dito anteriormente, a maior presença de cobre é um dos fatores preponderantes para ampliar a economia de energia de um motor elétrico. Além disso, a diminuição de consumo energético é assegurada por fatores como:

  • design de refrigeração

  • tipo de cabeamento

  • leveza do material do eixo

  • rolamento mais eficiente

  • menor dimensão do motor

Como se certificar da economia de energia em motores elétricos

Ao adquirir um motor elétrico, uma pequena ou média indústria pode se certificar que o equipamento não terá gasto excessivo de energia elétrica. Para isso, é recomendável observar o selo Procel, concedido pelo Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica.

Por meio do selo Procel, o consumidor pode identificar quais produtos apresentam os melhores níveis de eficiência energética em cada categoria, o que resulta em economia na conta de energia elétrica.

Também usado em eletrodomésticos, o selo Procel foi criado por Decreto Presidencial em dezembro de 1993 e é coordenado pelo Ministério de Minas e Energia (MME), com sua Secretaria-Executiva gerida pela Eletrobras.

A Procel classifica o consumo de energia do motor elétrico e seu grau de eficiência energética entre A (mais eficiente) e G (menos eficiente).

Para a manutenção do selo, os motores elétricos são reavaliados anualmente pelo Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), a fim de verificar se as características de desempenho e de segurança elétrica seguem válidas para a autorização do uso do selo Procel.

Portanto, ao procurar pelo motor elétrico ideal para a sua empresa, é necessário observar a concessão do selo Procel. Avaliar a marca do equipamento e contar com o auxílio de profissionais com expertise na comercialização dessas máquinas são outros fatores que devem ser levados em consideração para garantir a melhor escolha.

Com o avanço tecnológico em motores elétricos, é possível encontrar alternativas que têm baixo consumo energético e, assim, evitar grandes gastos com contas de luz. Para saber um pouco mais sobre o assunto, leia também o post “Entenda como economizar energia com motores elétricos na indústria”.




Comments (5)

  1. Bom dia
    Não ficou claro para Mim ” maior presença de cobre ”
    Seria o embobinamento com fios de cobre de maior pureza ?

    1. Boa tarde, José.
      Sim, inclusive a fabricante WEG diminuiu o tamanho de seus motores, por conta disso.
      A maior pureza dos fios de cobre permite um melhor rendimento.

      Abraço!

    2. exato…quanto mais cobre, menor a resistência elétrica e menor perdas Joule (calor)

  2. ola gostaria de citar o texto em um artigo acadêmico e gostaria do nome do responsável para o devido credito

    1. Bom dia!
      Você pode utilizar o Blog como referência e como autor, a empresa Paraíso das Bombas.
      Agradecemos o comentário e a citação.
      Até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *