Aprenda a otimizar recursos na sua produção

O maior desafio de grandes e pequenas empresas hoje é otimizar recursos, ou seja, manter ou aumentar sua produtividade e, ao mesmo tempo, diminuir os custos envolvidos no processo de produção. Quais atitudes você pode tomar para conseguir realizar isso no seu negócio?

Descobrimos algumas estratégias que os maiores players do mercado têm implementado e vamos compartilhar agora com você. Confira!

Como é possível otimizar recursos na produção da empresa?

Otimizar recursos significa, basicamente, cortar custos sem comprometer os lucros ou o desempenho da empresa. Então, fique atento às principais práticas do mercado para atingir esse objetivo:

Busque bons fornecedores

A sua linha de produção começa com a matéria-prima adquirida por meio de fornecedores. Nesse sentido, é importante buscar por preços competitivos e materiais de qualidade, já que eles vão afetar diretamente as características do seu produto final.

Por isso, é importante realizar uma pesquisa de mercado para encontrar os melhores preços. Mas é claro que não vale optar por valores baixos se o fornecedor não tiver credibilidade.

Além disso, tente equilibrar esses preços com outras vantagens que o fornecedor talvez possa oferecer, como melhores prazos de pagamento, descontos para compras em grandes quantidades e agilidade na entrega.

Organize o espaço físico da sua empresa

Não negligencie o layout da empresa. Posicione pessoas e equipamentos de modo que o espaço seja bem distribuído e que haja boa mobilidade para os funcionários, circulação de ar, temperatura e iluminação adequadas e logística.

Cuide também que tanto o maquinário quanto os móveis sejam ajustados em formato ergonômico. Ou seja, esses ativos devem ser organizados de modo que seja confortável para os funcionários trabalharem.

A ergonomia aumenta a eficiência organizacional e contribui para a saúde e a segurança do trabalhador — e isso se reflete na otimização do processo produtivo.

Mapeie os processos de produção

O mapeamento de processos ajuda o empreendedor a entender o fluxo de trabalho dentro da empresa, apontando pontos na linha de produção que poderiam ser otimizados. Em outras palavras, ele determina a ordem das operações realizadas, como as tarefas devem ser feitas em cada etapa e que recursos serão necessários.

Se sua empresa tiver os processos bem mapeados, ficará muito mais fácil para sua equipe entender como funciona cada etapa — e evitar algumas falhas que poderiam fazê-lo perder tempo e recursos.

O mapeamento é uma ferramenta que ajuda, por exemplo, a detectar gargalos e redundâncias (tarefas repetidas desnecessariamente) que tornam a produção mais cara e demorada.

Defina cronogramas e compartilhe-os com sua equipe

Com os processos bem mapeados, é hora de estabelecer um cronograma para a linha de produção. Isso engloba delegar as tarefas para cada colaborador e equipe e definir prazos. Após isso, disponibilize essa informação para todos os funcionários, pois, dessa forma, o fluxo de trabalho correrá de modo muito mais organizado.

Esse cronograma pode ser feito com a ajuda de softwares — como o Excel, que permite visualizar o esquema de maneira rápida e simplificada.

Terceirize atividades que não são do seu domínio

A terceirização, ou serviços de outsourcing, tem sido uma estratégia muito usada pelas companhias. Por meio dela, os gestores conseguem delegar a uma empresa parceira tarefas que não estão relacionadas à atividade principal do negócio. Dessa forma, eles conseguem se concentrar em seu core business.

Toda empresa precisa lidar com operações que não são do seu ramo de atuação. Caso não desejem contratar profissionais para realizar essas tarefas, podem contar com companhias terceirizadas. Algumas dessas atividades incluem serviços de contabilidade, suporte em TI, departamento pessoal, segurança, limpeza, alimentação etc.

Ao fazer isso, as empresas conseguem se concentrar em sua linha de produção. No entanto, para que essa estratégia sirva para otimizar recursos, o empreendedor precisa avaliar as despesas envolvidas na terceirização e verificar se sairia mais barato realizá-las por meio de funcionários internos — equilibrando custos e qualidade operacional.

Economize energia com motores elétricos

O próximo passo envolve dar atenção aos equipamentos da sua linha de atenção. Entre eles, os motores elétricos são as máquinas que mais consomem energia e, por isso, representam uma fatia significativa dos custos operacionais.

Quando falamos em otimizar recursos por meio da aquisição, uso e manutenção de motores elétricos, devemos levar em conta pelo menos três fatores:

Vida útil

Garantir a vida útil dos motores elétricos envolve se certificar de que estejam sempre em boas condições de funcionamento, mantendo uma performance satisfatória em todas as etapas da produção. Para conseguir isso, é preciso:

  • comprar equipamentos de fornecedores de confiança;
  • definir um plano de manutenção preventiva;
  • conhecer as especificações da máquina para que seja instalada e manuseada conforme as orientações do fabricante.

Substituição de motores antigos

Novos motores possuem tecnologias que reduzem o consumo de energia elétrica e, com isso, otimizam recursos. Além de elevar o rendimento na linha de produção, eles possuem uma vida útil maior, o que aumenta o prazo para futuras substituições.

Quando a empresa mantém motores elétricos antigos, ela se sujeita a problemas de curto-circuito, superaquecimento, desperdício de energia, entre outros. Para economizar, algumas companhias optam por recondicionar esses equipamentos, porém, isso pode comprometer a eficiência do motor.

Eficiência energética

Ao adquirir novos motores elétricos, esteja atento à eficiência energética deles. Esse índice é marcado pelo selo Procel (Projeto Nacional de Conservação de Energia Elétrica), que avalia e classifica os equipamentos em escalas que vão de A a G — o primeiro indicando que há um bom aproveitamento no consumo de energia.

Já que os motores elétricos podem fazer tanta diferença na sua estratégia para otimizar recursos, descubra como fazer uma boa escolha na hora de adquirir um para a sua linha de produção!

Como escolher os motores certos?

Como vimos, quanto mais velho o motor elétrico fica, a tendência é que ele perca rendimento, e os gastos com energia elétrica e manutenção acabam ficando maiores ao longo do tempo.

Sendo assim, é importante renovar os equipamentos elétricos da sua empresa, considerando principalmente aqueles que já passaram por vários redimensionamentos.

Sem dúvida, os motores ideais para sua pequena ou média empresa são os menores e mais compactos. É importante ainda avaliar a bomba usada no motor, já que o conjunto bomba/motor mal dimensionado pode prejudicar a eficiência do equipamento e ainda gerar grandes prejuízos.

Por exemplo: um motor de carga alta com uma bomba de menor potência pode ocasionar a queima do produto.

Vale lembrar ainda que levar os motores para serem rebobinados em locais que não sejam confiáveis ou que não apresentem garantia também é um risco para os motores da sua empresa.  

Quando e como planejar a manutenção dos motores?

Mesmo que você escolha os melhores equipamentos, eles precisarão passar por uma manutenção preventiva — a fim de garantir sua disponibilidade e bom rendimento. Por isso, é importante que essas intervenções sejam bem planejadas.

A manutenção de motores elétricos abrange três operações principais:

  • limpeza:  utilizando panos de algodão ou escovas, retire o acúmulo de poeira, óleo ou qualquer outro detrito;
  • lubrificação: limpe, avalie e, se necessário, lubrifique o mancal do rolamento com graxa, seguindo as recomendações do manual de instruções;
  • substituição de rolamentos: leve a um profissional qualificado, que desmontará o motor e substituirá os rolamentos.

É importante lembrar que a lubrificação do rolamento do motor deve seguir as diretrizes do fabricante, que vai definir a quantidade de graxa.

A manutenção preventiva deve ser realizada mensalmente e servirá tanto para detectar falhas antes que causem paradas nos equipamentos quanto para implementar ações que aumentem a vida útil dos motores.

Seguindo esses passos, você conseguirá otimizar recursos em todas as etapas da produção, desde a escolha de fornecedores até a aquisição de equipamentos que garantam uma melhor eficiência energética e produtividade.

Gostou do nosso post? Então assine a nossa newsletter e receba mais dicas direto na sua caixa de entrada!




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *