Aquecedores para piscina: Confira 5 vantagens

Aquecedor para piscina: Confira 5 vantagens!

Ter um aquecedor para piscina faz toda a diferença entre aproveitá-la ao longo do ano ou apenas de vez em quando. Por esta e outras razões, trata-se de um investimento que, quem opta por fazer, nunca se arrepende.

A água morna é extremamente relaxante. Bastam alguns minutos em imersão para o organismo liberar as tensões acumuladas por conta do estresse do dia a dia. Além disso, melhora a vasodilatação e o condicionamento físico como um todo. Mas, para tirar o melhor proveito da piscina, o segredo é alternar momentos de calmaria com exercícios.

 

No mercado, há modelos de sistemas de aquecimento que reúnem eficiência e excelente custo-benefício, como é o caso do aquecedor solar. Para conhecer as vantagens deste e de outros tipos, acompanhe o post!

 

Quais são as vantagens do aquecedor para piscina?

O aquecedor para piscina elimina a limitação de uso por conta das condições climáticas, o que impacta, positivamente, na qualidade de vida da família. Veja cinco razões que comprovam que o investimento vale a pena:

 

Aquecedores Sodramar

 

1.  Aproveitamento durante o ano todo

 

Quem tem uma piscina sem aquecedor, raramente aproveita a estrutura na rotina diária, ainda mais fora do verão.

Com o sistema de aquecimento, não há tempo ruim. É possível abrir mão de ir ao clube e dar boas braçadas no conforto e na privacidade do lar, na hora que desejar.

 

2.  Diversão garantida para toda a família

 

Para adultos, considera-se como uma temperatura agradável algo em torno de 26º C a 28º C. Já para crianças, recomenda-se a temperatura da água com, pelo menos, 30º C.

Acertando na climatização, mesmo quando o intuito não é nadar (o que dá calor), mas apenas relaxar, os corpos se mantêm confortáveis, graças ao sistema de aquecimento.

 

3.  Facilidade na manutenção

 

A manutenção varia em função do sistema escolhido. Quem procura por praticidade, por exemplo, deve optar pelo aquecimento solar.

A limpeza dos coletores precisa ser feita uma ou, no máximo, duas vezes ao ano, sendo que é possível contar com o serviço da empresa responsável pela instalação.

 

4.  Incentivo à prática esportiva

 

Apenas o fato de não ter de pegar o carro, encarar o trânsito e se deslocar até a academia de ginástica já facilita a prática de atividades físicas.

Saber que pode encontrar uma piscina gostosa facilita a regularidade dos exercícios, seja natação, hidroginástica ou qualquer outro.

 

5.  Valorização do imóvel

 

Investir no lar reflete, diretamente, na sua valorização no mercado imobiliário. Ao optar por uma tecnologia sustentável e com boa durabilidade, como o aquecimento solar, o imóvel colabora com o uso racional dos recursos naturais.

 

Quais são as diferenças entre os sistemas de aquecimento?

Os benefícios do aquecedor para piscina variam em função do sistema instalado. Por isso, antes de escolher, é imprescindível conhecer as características individuais e comparar as diferenças, para ver qual atende melhor às suas necessidades. Confira:

 

Aquecimento solar

 

Quando a radiação do sol incide sobre o coletor solar, este transfere o calor para a água. Uma vez aquecida, ela é bombeada de volta para a piscina.

O sistema de aquecimento solar destaca-se pelo uso de energia renovável, reduzindo a conta de luz. A energia elétrica é consumida apenas pela motobomba, a qual faz com que a água circule pelos coletores térmicos.

Por outro lado, a instalação dos coletores — geralmente dispostos no telhado e/ou em uma área próxima — exige bastante espaço, o qual é calculado em função da superfície da piscina. O dimensionamento preciso é essencial para a eficiência do sistema.

A manutenção da temperatura agradável é garantida por meio de um controlador digital. Em dias nublados, para não ter o aquecimento prejudicado, recomenda-se o uso de um sistema complementar, como bombas de calor ou elétrico.

 

Aquecimento por bombas de calor

 

Para funcionar, as bombas de calor precisam de energia elétrica. Porém, como transferem o calor do ar para a água — por meio de um processo inverso ao do ar-condicionado — são mais econômicas do que o sistema de aquecimento elétrico.

Como a temperatura obtida varia em função do clima, em regiões muito frias, o ar gelado (com termômetros marcando abaixo de 10º C) inviabiliza seu uso.

A instalação deve ser feita próxima à casa de máquinas, ficando exposta ao tempo. Dependendo da capacidade, seu valor pode ficar alto. Mas, ainda que o custo seja elevado, o gasto com energia elétrica é menor do que nos sistemas elétrico e a gás.

 

Aquecimento elétrico

 

Um termostato automático controla a temperatura da resistência elétrica dentro do boiler, o que torna o sistema de aquecimento elétrico bastante compacto.

Fácil de ser instalado — inclusive em estruturas já construídas —, o sistema oferece calor constante, sendo ideal para quando se faz uso diário da piscina.

Apesar de não ser caro, consome bastante energia elétrica, o que impacta, diretamente, no aumento da conta de luz. Por isso, cada vez mais é usado como um sistema de apoio a outros mais sustentáveis.

 

Aquecimento a gás

 

O sistema de aquecimento a gás tem a vantagem de ser mais silencioso do que o elétrico, além de elevar a temperatura da água rapidamente (independe das condições climáticas), sendo ideal para quem usa a piscina apenas aos finais de semana.

Porém, é necessário ter um cômodo à parte, com direito à chaminé (para eliminar os gases de exaustão), exclusivo para a instalação dos equipamentos. Para conceder o aval, os bombeiros visitam o local e avaliam as condições de ventilação.

O custo de instalação é menor do que na bomba de calor, porém, o consumo de gás natural (GN) ou gás liquefeito de petróleo (GLP) é alto e, dependendo da frequência de uso, pode tornar o sistema custoso.

 

Aquecimento a óleo ou a lenha

 

Cada vez menos usado, o custo do sistema de aquecimento a óleo ou a lenha é baixo. Porém, é preciso ter uma área seca para o correto armazenamento dos combustíveis, os quais são consumidos em grande quantidade, o que encarece o custo final.

 

Qual solução oferece o melhor custo-benefício?

Para acertar na escolha, além de considerar o clima da região e os hábitos de uso da família, é preciso calcular o espaço disponível para a instalação dos equipamentos.

As principais variantes, no entanto, são o tamanho da piscina (quanto maior, maior o volume para aquecer e, ao mesmo tempo, maior a superfície para perder calor) e se esta é ou não coberta.

Por isso, o mais indicado é investir em um projeto misto, que combine o aquecimento solar com um alternativo. A economia na conta de luz compensa o investimento. Também vale a pena investir em uma capa térmica, a qual ajuda a diminuir a perda de calor e ainda protege a estrutura da queda de folhas e de sujeiras, sendo um ótimo complemento.

Por fim, é importante adquirir produtos com o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), bem como contar com técnicos qualificados, os quais sigam as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) na instalação.

Depois de conhecer as vantagens de instalar um aquecedor para piscina, deixá-la sem este recurso não faz sentido. Converse com sua família e veja o que eles pensam sobre a utilidade do investimento, mostrando como ele será revertido na qualidade de vida e no bem-estar coletivo.

Gostou do post? Tem alguma experiência com piscina aquecida? Ficou alguma dúvida? Então deixe seu comentário no post e compartilhe sua opinião! Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *