Qual é o método correto de cuidar e medir o pH da sua piscina?

Cuidar de uma piscina não é tarefa muito fácil. São muitos detalhes que devem ser levados em conta para que ela esteja sempre limpa e própria para o banho. Sabia, por exemplo, que é importante medir o pH da piscina?

Caso esse índice esteja fora do nível adequado, você pode perder dinheiro na aplicação de produtos na água. Além disso, a sua saúde e a dos seus amigos e familiares pode estar em riscos.

Por isso, preparamos este artigo para explicar o que é o pH e como ele pode ser medido e corrigido. Acompanhe!

Qual a importância de cuidar da piscina regularmente?

Sabe-se que a água sem o devido tratamento se torna um vetor de propagação de doenças infecciosas, como hepatite e conjuntivite. Há também larvas de insetos que podem se desenvolver nela, favorecendo a proliferação de mosquitos, como o Aedes aegypti.

Nessas condições, um banho de piscina representaria um grande risco para os frequentadores. Não é isso que você deseja, não é verdade? Por isso que há no mercado diversos equipamentos e produtos de limpeza apropriados para tratar a água.

Muitos desses componentes higienizam a piscina retirando partículas sólidas que são visíveis ao olho nu, como poeira, terra e outros fragmentos que ficam suspensos na água ou depositados no fundo. Podemos citar o sistema de filtro e bomba, equipamentos de aspiração, escovas e peneira.

No entanto, há impurezas que exigem produtos químicos para uma limpeza eficiente — é o caso das algas, fungos e bactérias. Para tratar esses problemas, são indicados os algicidas e o cloro, especialmente o Ultraclor.

Para que esses produtos funcionem como o previsto, a piscina precisa estar em condições ideais, o que está diretamente relacionado ao pH da água. Mas o que isso tem a ver?

Como o pH influencia no tratamento e na qualidade da piscina?

O pH (Potencial Hidrogeniônico) refere-se à acidez de uma substância, no caso da piscina é a própria água. Esse índice varia de 0 a 14. Nessa escala, 7 é neutro, acima de 7 é alcalino e abaixo disso é ácido. Para a piscina, o pH ideal fica entre 7 e 7.4. Monitorar o Potencial Hidrogeniônico é importante porque:

  • produtos químicos têm sua eficiência comprometida em piscinas com pH ácido, ou seja, abaixo de 7;
  • pH ácido causa irritação na pele, nos olhos e em outras mucosas do corpo, prejudicando a saúde e o conforto dos banhistas;
  • a água alcalina (acima de 7.4) pode neutralizar a ação desinfetante do cloro, além de dar a ela um aspecto turvo;
  • a alcalinidade da água pode causar danos ao revestimento da piscina e seus demais componentes, favorecendo a formação de calcário nas tubulações.

Realmente, motivos não faltam para você medir o pH da piscina. Então, saiba como fazer isso!

Como medir o pH da piscina?

A medição do pH é feita por meio de estojos de teste. Eles geralmente vêm com dois reagentes, usados para a análise tanto do cloro quanto do pH. Há também um recipiente comparador em tubo plástico para a medição. O procedimento é bem simples, pois tudo é descrito nas instruções do kit.

Basta encher o medidor com um pouco da água da piscina e pingar cerca de 5 gotas do reagente vermelho. Daí, é só agitar o tubo com a mistura. Você perceberá que a cor vai mudar. Compare a tonalidade com a escala colorimétrica fixada ao lado do tubo.

O pH ácido resulta em uma coloração esverdeada, ao passo que a alcalinidade deixa um aspecto rosado no líquido do medidor. Como vimos, os dois resultados são negativos para os banhistas e para a aparência da água. Como corrigir isso? Vamos ver!

Como corrigir o pH da água?

Para corrigir o pH, você vai precisar aumentar ou reduzir o índice até que fique nos níveis ideais, entre 7 e 7.4. Nos dois casos, você deve utilizar um produto específico. Mas primeiro, é preciso medir a alcalinidade para que os produtos para corrigir o pH tenham o efeito esperado.

Medindo e corrigindo a alcalinidade

A alcalinidade é o potencial que um líquido tem de neutralizar os ácidos fracos. Se estiver fora da faixa ideal, vai ficar difícil equilibrar os níveis de pH. A medida recomendada aqui fica entre 80 a 120 ppm (partes por milhão).

Para fazer a medição, utilizamos um estojo de teste de alcalinidade — diferente daquele usado para analisar o pH. O kit traz dois frascos de reagentes e um recipiente no qual serão misturadas a água e os dois produtos. É só seguir as instruções do fornecedor.

Caso a alcalinidade esteja fora do padrão, basta aplicar os produtos químicos indicados:

  • elevador de alcalinidade, caso os níveis estejam abaixo de 80 ppm;
  • para reduzir, usamos o mesmo produto indicado para o diminuir o pH.

Ao chegar à faixa ideal, podemos começar a corrigir o pH da piscina.

Corrigindo o pH

  • para reduzir o pH, usamos um ácido conhecido como “diminuidor de pH” — aqui temos o ácido muriático, o bissulfato de sódio em pó ou o ácido clorídrico;
  • para elevar, geralmente é usado o carbonato de sódio ou outro regulador pH+.

 

Após aplicar os produtos, ligue o sistema de filtragem da piscina para que a água circule e os produtos químicos não se acumulem em pontos específicos do tanque.

Lembre-se também de usar equipamentos de proteção (EPIs), como óculos, máscara e luvas — afinal, são substâncias químicas concentradas que podem prejudicar sua saúde.

Após uma hora, você pode novamente medir o pH da piscina para verificar se os níveis estão equilibrados. Se tudo estiver ok, você pode começar o tratamento com o cloro. Dessa forma, a cloração terá o efeito esperado, higienizando a água sem agredir os banhistas nem danificar os equipamentos. Caso não estejam, repita o procedimento. Mas cuidado com o efeito “ioiô”. Já ouviu falar?

Driblando o efeito “ioiô”

Se os níveis de pH e alcalinidade estão igualmente altos ou baixos, a correção é mais fácil, pois eles vão ser alterados simultaneamente. Mas quando esses índices estão opostos, a correção fica um pouco mais complicada. Então, para alterar o pH sem influenciar a alcalinidade, siga as dicas:

  • primeiro, corrija a alcalinidade, como vimos acima;
  • para aumentar o pH sem alterar a alcalinidade, promova a oxigenação da piscina por manter a bomba ligada na função de filtragem ao menos quatro horas;
  • para reduzir o pH sem alterar a alcalinidade, adicione gás carbônico na água.

 

Essas técnicas são realmente mais difíceis de executar e exigem um pouco mais de paciência.

Sem dúvida, medir o pH da piscina é uma tarefa fundamental para garantir que todo o investimento com produtos químicos na água será realmente eficiente. Além disso, você manterá uma área de lazer sempre limpa e pronta para o banho.

Gostou das dicas? Então, assine agora mesmo nossa newsletter e seja notificado por e-mail sempre que tivermos um conteúdo fresquinho por aqui. Aproveite que é de graça!




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *